Hora ou outra você deve ouvir pessoas falando sobre o alcance das postagens no Instagram e determinadas ações que devem ser tomadas para mudar isso. Vamos mais afundo?

De tempos em tempos, aquela pessoa que parece ter feito parte do desenvolvimento da Rede Social mais utilizada do mundo, chega cheia de dicas, com um tom geralmente alarmista que demanda algum tipo de ação por parte dos usuários para não perderem algo que eles já têm. Era muito comum ver isso pelo Facebook, e agora começou também no Instagram.

Algumas pessoas têm publicado, seja nos stories ou mesmo na timeline, uma mensagem sobre redução de alcance de posts. Segundo o Instagram, isso é balela. “Os rumores sobre a redução de alcance não são verídicos. O Instagram não esconde posts das pessoas que te seguem”, informou a rede em comunicado.

Não sei se chegou a aparecer para você, mas a mensagem que circula por aí tem o seguinte conteúdo (e conta com algumas variações):

O Instagram limitou nossas postagens para que apenas 6% [em alguns se fala em 7%] dos nossos seguidores as recebam.

Se você está vendo essa postagem, por favor curta e comente “sim”. Isso vai melhorar nosso algoritmo e você começará a ver nossas postagens.

A proporção do boato se espalhou pelo mundo, e o Instagram publicou uma nota no Twitter:

Como no Facebook, o Instagram não dá muitos detalhes sobre o funcionamento de sua timeline. Desde que passou a ser gerido por algoritmos (e não em ordem cronológica, como ocorria antigamente), o feed, explica a própria rede social, “exibe posts e contas com as quais o usuário mais se engaja, além de ser influenciada por outros fatores como período de postagem, frequência que você usa o Instagram, quantas pessoas você segue, etc.”

Resumindo, o Instagram dá uma ideia do funcionamento do feed, mas não deixa muito claro o funcionamento da Rede como um todo, pois é tudo regido por algoritmos personalizados para cada usuário. O Independent observa que justamente a falta de clareza ajuda na disseminação de teorias da conspiração.

Nos EUA, o Instagram fez alguns esclarecimentos com alguns veículos de imprensa sobre o funcionamento dos seus algoritmos. Em suma, como explica o TechCrunch, são três os principais fatores que moldam o feed na rede:

Interesse: o Instagram tenta prever o quanto você se importará com um post; priorizando o que importa mais para você, determinado pelo seu comportamento passado com conteúdos parecidos e possivelmente pela visão de máquina do conteúdo do post.

Mais recentes: quanto tempo faz que o post foi compartilhado, com priorização de posts recentes em detrimento de posts publicados com mais de uma semana.

Relacionamento: quão próximo você é da pessoa que compartilhou, com priorização maior para pessoas com as quais você interagiu bastante no passado, fazendo comentários nos posts dela ou sendo tagueados juntos em imagens.

Bom, por ora, o Instagram não vai deve limitar sua audiência. Então, se você quiser ter mais alcance, uma opção é primeiro entender que manter uma frequência de conteúdo é importante, assim como assumir o controle das suas Redes Sociais. Afinal, o principal interessado em mante-las saudáveis, funcionando bem e gerando resultado é seu. Cuidado com os ‘mestres do Instagram’ eles podem só estar tentando aumentar seus custos.