Com tecnologia, serviço que hoje é entregue a cabo, acabaria substituído pela internet via celular

Começamos este post com a seguinte pergunta: você já parou para imaginar que em breve a conexão com a internet em seu celular será mais rápida do que no Wi-Fi?

O governo pretende leiloar as frequências da rede 5G entre os provedores de Internet móvel até meados de 2020. Segundo o presidente da Anatel, Leonardo Morais, a ideia era realizar a distribuição em março do ano que vem, porém a data foi adiada devido às dificuldades técnicas e chances de interferência da nova rede em sinais de antenas parabólicas.

O adiamento não configura, necessariamente, um problema para as gigantes de telecomunicações brasileiras, muito pelo contrário, agora elas tentam ganhar tempo – a tecnologia 5G deve abolir o uso de cabos e permitir a transmissão de canais pela internet via celular.

A velocidade da rede é o grande atrativo da quinta geração. Muito superior em comparação ao 4G, ela deve facilitar ainda mais o consumo de conteúdo transmitido via streaming, algo que já vem ameaçando as TVs por assinatura há algum tempo.

IoT, serviços avançados e Marco Civil da Internet

Com o 5G, as cidades inteligentes e a internet das coisas ficam mais próximas da realidade e cotidiano das pessoas. Por outro lado, na avaliação de técnicos da Anatel, o Marco Civil da Internet deveria ser revisado para isso acontecer.

Isso porque a comunicação entre as plataformas – internet das coisas, serviços avançados (veículos teleguiados e cirurgias à distância) – para funcionarem adequadamente, será preciso privilegiar conexões no tráfego de rede, fato que fere o princípio da neutralidade previsto no marco.

A rede 5G promete uma melhor velocidade, conexão e bateria

Se o 4G e suas variações permitiram conectar pessoas, o 5G vai nos permitir uma conexão muito mais ampla com as coisas que nos rodeiam. Seu celular, por exemplo, provavelmente vai ser mais rápido que o wifi da sua casa.

É um fator essencial “para atividades como transmissão de um jogo ao vivo em realidade virtual ou para um cirurgião em Nova York controlar um par de braços robóticos que executam um procedimento em Santiago”, explica o especialista em tecnologias óticas para redes da próxima geração, Abraham Valdebenito em um dos seus artigos.

A tecnologia está avançando e favorecendo ainda mais o acesso a internet, e o foco do seu negócio? Está mais voltado para o digital ou o meio físico? 

Via: Folha de S. Paulo e Época Negócios